info-novembro-azul-2Em todo o mês de novembro ocorre a campanha nacional pela saúde integral do homem, conhecida como #NovembroAzul.

De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), mais de 61 mil novos casos de câncer de próstata serão registrados em 2016. As estatísticas apontam que a cada 40 minutos, um homem morre vítima da doença, sendo o segundo que mais mata. Em todo o mundo, mais de 300 mil homens morrem em decorrência deste fato de acordo com a ONG britânica Cancer Care.

De acordo com Marlene Oliveira, presidente do Instituto Lado a Lado Pela Vida, a campanha deste ano visa a integração da saúde masculina e não apenas com foco no câncer de próstata. “Nossa campanha é pioneira no Brasil em alertar os homens sobre a importância de se prevenir o câncer de próstata. Com o Novembro Azul consolidado em todo o país, passamos este ano a alertar sobre os cuidados com a saúde integral do homem. Queremos mobilizar a população masculina para que se torne protagonista da sua história e responsável por sua qualidade de vida em diferentes fases da vida”.

Durante o mês de novembro, serão realizadas atividades de orientação sobre o câncer de próstata e a saúde do homem e ações para estimular a atividade física. Prédios serão iluminados na cor azul – entre eles, o Viaduto do Chá, em São Paulo, e o Congresso Nacional, em Brasília, em um movimento semelhante ao Outubro Rosa.

Leonardo Pimentel, radio-oncologista de Belo Horizonte (MG), alerta que se a doença for detectada em estágio inicial, as chances de cura ultrapassam os 90%. “Grande parte dos problemas referentes ao câncer de próstata é que as pessoas tendem a imaginar que seja é uma doença que não traz risco algum, quando na verdade pode se espalhar pelo corpo todo, levando o paciente à morte”.

A indicação do Ministério da Saúde é que homens a partir de 50 anos comecem a realizar o exame preventivo. Esta idade pode diminuir para 45 anos nos casos em que já houve este tipo de doença na família e cai para 40 se um parente de primeiro grau já foi vítima do câncer de próstata.

De acordo com Pimentel, o exame do toque retal é feito apenas após a confirmação da necessidade. “Quando feito por um bom especialista, é um exame indolor, com pouco desconforto, realizado em poucos segundos e é mais eficiente, porque pode detectar nódulos, o que não acontece com o exame sanguíneo PSA”.

A melhor indicação é procurar um médico urologista em sua cidade, retirar da mente todos os preconceitos existentes em torno da lenda do exame de toque e prevenir-se contra uma das doenças que mais matam no Brasil.